Para Meditar

"Escreva as preocupações de hoje na areia. Grave as vitórias de ontem na pedra".

29/04/2011

A oração produz frutos

    Essa semana recebi uma grande vitória fruto de muita, muita oração. Oração insistente, perseverante e confiante. Como é maravilhoso saber que existe um Deus que ouve as orações. Há poucos dias, assistia a Pra. Rachel na Rede Boas Novas. Ela dizia: quem ora produz frutos. Quem ora vive uma vida de aventura. Quem ora faz acontecer.
     Estava em uma campanha recente de oração e uma irmã teve a visão de flores espalhadas na igreja. Ela contou o que viu e imediatamente, Deus deu o discernimento a outro irmão que explicou que antes do fruto surgir, primeiro brota a flor. Achei tão lindo! É  a confirmação de que quem ora, semeia, planta e depois ceifa, colhe.
      A oração é um investimento com retorno garantido. Pense num mistério, num segredo grande! Quem ora vive uma vida de aventuras porque Deus nos concede desafios para superarmos em oração. É coisa grande ver as muralhas, os gigantes, os obstáculos cairem pelo poder da oração da fé.
      A pastora Rachel também ministrou algo interessante. Quando paramos de orar por determinada situação ou causa, as coisas deixam de acontecer. É uma afirmativa questionável, porém intrigante.
      Tenho visto na minha vida cristã pessoal que naquilo que mais insisto e creio, alcanço vitória, mas aquilo que deixo de orar parece que emperra, empaca, deixa de produzir. É algo a refletir, mas o que realmente importa é o que Jesus nos ensinou na parábola do juiz iníquo: orar sem cessar, ainda que a resposta das circunstâncias sejam NÃO, continue insistindo.
       O Senhor se agrada em ver a sua perseverança. Ele se agrada em ver que você não desiste. É uma prova de fé aplicada por ele para que você passe de um nível espiritual para outro. Continue orando e produzindo frutos. E não esqueça: antes do fruto vem a flor (o sinal de Deus).

28/04/2011

Somos caminhantes no deserto da vida

Estava hoje em oração e o Espírito de Deus me impulsionou a orar, agradecendo pelos livramentos terrenos. O mundo em que vivemos e do qual não pertencemos está cada dia mais violento e cheio de maldade. Segurança verdadeira só temos no Senhor que é o Guarda de Israel, guarda fiel do seu povo.
Debaixo das suas asas e cobertos por suas penas, diz a Bíblia, estamos seguros. Ele nos defende, protege, esconde. Ele é refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Meditando sobre o cuidado de Deus, veio-me uma revelação interessante. Uma comparação entre os perigos do mundo em que vivemos na caminhada para a Canaã Celestial e os perigos que o povo de Israel enfrentou na caminhada pelo deserto rumo à Terra Prometida.
Assim como eles somos caminhantes no deserto da vida. Estamos de passagem na Terra. Aqui não é a nossa pátria, mas estamos marchando para chegar ao nosso alvo: o céu de glória. Não somos do mundo, não temos parte com ele. Precisamos caminhar por ele sem perder o foco, a meta, sem esquecer que precisamos chegar na linha de chegada.
Assim como no deserto existem serpentes, escorpiões, sol escaldante, falta de água e tantos outros perigos e dificuldades; na caminhada rumo ao céu enfrentamos a mesma coisa, mas a marcha precisa ser constante porque o Deus que deu vitória aos israelitas é o mesmo que cuida e livra a mim e a você.
É preciso ter a consciência de que somos caminhantes, estamos de passagem, não somos do mundo, mas temos um objetivo. Precisamos buscar as coisas que são de cima. Precisamos priorizar o Reino e as demais coisas serão acrescentadas.
Infelizmente, muitos já se embaraçaram pelo caminho do deserto da vida cristã, mas aquele que milita não se embaraça com negócios desta vida a fim de agradar aquele que o alistou. Permaneça firme nessa marcha gloriosa porque Deus é a sua fortaleza e perfeitamente desembaraça o seu caminho.
Não arme tenda no deserto. Não finque estacas. Deserto é lugar de passagem. Tudo neste mundo passa, mas as palavras de Deus não hão de passar. Priorize o Reino, não se embarace com o mundo com seus perigos e cuidados, mas lembre-se: você é apenas um caminhante por aqui. Deixe para armar a sua tenda no céu. Deus vos abençoe!

26/04/2011

Cicatrizes de Amor

Há alguns anos, em um dia quente de verão, um pequeno menino decidiu ir nadar no lago que havia atrás de sua casa. Na pressa de mergulhar na água fresca, foi correndo e deixando para trás os sapatos, as meias e a camisa. Voou para a água, não percebendo que enquanto nadava para o meio do lago, um jacaré estava deixando a margem e entrando na água. Sua mãe, em casa, olhava pela janela enquanto os dois estavam cada vez mais perto um do outro. Com medo absoluto, correu para o lago, gritando para seu filho o mais alto quanto conseguia. Ouvindo sua voz, o pequeno se alarmou, deu um giro e começou a nadar de volta ao encontro de sua mãe. Mas, era tarde! Assim que a alcançou, o jacaré também o alcançou. A mãe agarrou seu menino pelos braços enquanto o jacaré agarrou seus pés. O jacaré era muito mais forte do que a mãe, mas a mãe era por demais apaixonada para deixá-lo ir. Um fazendeiro que passava por perto, ouviu os gritos, pegou uma arma e disparou no jacaré. De forma impressionante, após semanas e semanas no hospital, o pequeno menino sobreviveu. Seus pés extremamente machucados pelo ataque do animal, e, em seus braços, os riscos profundos onde as unhas de sua mãe estiveram cravadas no esforço sobre o filho que ela amava. Um repórter de jornal que entrevistou o menino após o trauma, perguntou-lhe se podia mostrar suas cicatrizes. O menino levantou seus pés. E então, com óbvio orgulho, disse ao repórter: Mas, olhe em meus braços. “Eu tenho grandes cicatrizes em meus braços também”. “Eu as tenho porque minha mãe não deixou eu ir”.
A publicação deste post é uma simples homenagem a todas as mães. Parabéns antecipadamente!

A verdadeira mãe

Duas mães, brigando por um filho. A mesma afirmativa: o filho é meu. Duas atitudes diferentes: uma disposta a abrir mão, outra disposta a sacrificar. Diante delas, o Rei mais sábio de toda terra. Neste episódio bíblico que se encontra no livro de I Reis no capítulo 3, Deus deu sabedoria ao Rei Salomão para reconhecer a verdadeira mãe – aquela que se sacrifica, renuncia, abre mão de sua vontade para livrar, proteger, amparar e resguardar o filho do mal.
A mãe verdadeira preferiu ficar sem o filho do que vê-lo morto. Ela abriu mão do seu direito para dar ao filho o direito à vida. Ela abriu mão do seu desejo para realizar o desejo de vê-lo salvo. Ela renunciou a sua verdade para não ver o filho morrer por uma mentira. Ela protegeu ao próprio filho para vê-lo vivo e livre do perigo. Ela chegou ao ponto máximo do amor, se anulou para preservar a vida do filho.
A verdadeira mãe não impõe condições para amar. Ela ama o filho do jeito que ele vier, do jeito que ele é. Ela defende, briga, luta pelo filho. Ela investe e acredita no filho ainda que ninguém veja saída. É um amor incondicional, sacrificial, um amor que se assemelha com o de Deus em alguns aspectos. Analise comigo as semelhanças do amor da mãe verdadeira e o amor do Deus Filho:
Jesus também renunciou – ao trono de glória
Jesus também se sacrificou – na cruz do Calvário
Jesus também se doou – pelos nossos pecados
Jesus nos ama incondicionalmente – ele não faz acepção de pessoas, morreu por todos
Jesus nos guarda e nos livra de todo mal – o sangue dele é a nossa proteção
Jesus intercede por nós – pede que o Pai nos livre do mal
O amor da verdadeira mãe nos remete a maior manifestação de amor já conhecida - o amor de Deus. Você que é mãe sinta-se privilegiada por receber do Senhor um sentimento tão sublime, puro e verdadeiro. E antecipadamente, desejo a todas as mamães um dia super especial na paz do Senhor Jesus.