Para Meditar

"Escreva as preocupações de hoje na areia. Grave as vitórias de ontem na pedra".

30/12/2010

Ele nos refina como a prata

Malaquias 3:3 diz: 'E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...'Esse versículo bíblico intrigou umas mulheres de um estudo bíblico e elas ficaram pensando o que essa afirmação significava em relação ao caráter e a natureza de Deus. Uma delas ofereceu-se para descobrir sobre o processo de refinamento da prata para o próximo estudo bíblico. Naquela semana, a mulher ligou para um ourives e marcou um horário para assistí-lo trabalhar. Ela não mencionou a razão do seu interesse e só disse estar curiosa para conhecer o processo. Ela foi assistí-lo. Ele pegou um pedaço de prata e o segurou sobre o fogo, deixando-o esquentar. Ele explicou que, no refinamento da prata, é preciso que segure-se a mesma bem no centro da chama, onde é mais quente e queima-se as impurezas.A mulher pensou sobre Deus, que às vezes, segura-nos em situações 'quentes' e pensou novamente no versículo: 'E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...'Ela perguntou para o artesão se ele tinha mesmo que ficar sentado o tempo todo na frente do fogo enquanto a prata estava sendo refinada. Ele disse que sim; que não somente ele tinha que ficar lá, segurando a prata, mas que ele tinha que, também, manter seus olhos na mesma o tempo todo que ela estivesse nas chamas. Se a prata ficasse um minuto a mais no fogo, seria destruída. A mulher ficou em silêncio por um momento. Então, ela perguntou: 'Como você sabe quando a prata está totalmente refinada?'Ele sorriu e disse: 'Ah, isso é fácil... É quando eu vejo minha imagem nela.' Se hoje você está sentindo o calor do fogo, lembre-se que os olhos de Deus estão sobre você e que Ele vai ficar cuidando de ti até que Ele veja Sua imagem em você.

Fonte: Internet

Recadinho Sábio

Leitura Cristã Gratuita

Compartilho um endereço eletrônico de leitura cristã gratuita. Uma irmã em Cristo me passou. O link é: http://www.lagoinha.com/portal/engine.php?pag=ebooks09&sec=68&cat=374&pg=1
Nesse endereço, você pode baixar os livros (e-books) do Pr. Márcio Valadão sem pagar nada. Os temas são variados, interessantes e edificantes. Boa leitura a todos!

Seja grato!


Ao final deste ano, olhe pelo retrovisor da sua vida e veja quanto Deus já fez. No hino 564 da Harpa Cristã cantamos assim: "Conta as bençãos, dize quantas são recebidas da divina mão. Vem dizê-las todas de uma vez e verás surpreso quanto Deus já fez". Cultive a virtude da gratidão, enxergando a vida pelos olhos da conquista. Não fixe o olhar no que não foi alcançado, mas atente para o que foi realizado. Termine 2010, enxergando o que você tem e não o que te falta. Esse é o ângulo de visão daquele que é FELIZ!

Fonte: Espírito Santo em minha vida

29/12/2010

Como estou trabalhando?


Há tempos atrás, havia um homem que se interessava em observar o comportamento das pessoas. Certo dia, caminhando pela sua cidade, percebeu um grupo de três homens trabalhando. Observou que pegavam pedras, de um canto onde estavam amontoadas, e as carregavam até o outro lado, onde eram colocadas umas sobre as outras.
Chamou-lhe a atenção a forma diferente com que cada um dos homens realizava o seu trabalho. O primeiro trabalhador apresentava o rosto tenso, visivelmente descontente com o que fazia. Pegava a pedra no monte e a carregava resmungando, praticamente jogando-a na pilha do outro lado. Algumas vezes a pedra caía e tinha que ser recolocada, o que o deixava ainda mais irritado.
O segundo trabalhador não apresentava sinais de aborrecimento, nem de satisfação. De forma neutra, pegava cada pedra, carregava-a pela distância necessária e a colocava, com certo cuidado, na outra pilha.
O terceiro trabalhador apresentava no rosto uma expressão tranqüila e satisfeita. Com movimentos harmoniosos, pegava a pedra, carregava-a cuidadosamente e com muita atenção e assentava-a na outra pilha. Nosso observador resolveu, então, fazer uma mesma pergunta, separadamente, a cada um dos três homens:
- “O que você está fazendo?”
O primeiro trabalhador respondeu, irritado:
- “Ora, não está vendo?! Pego as pedras daquele lado e as coloco na outra pilha! “
O segundo trabalhador deu a seguinte resposta:
- “ Estou fazendo uma parede com as pedras.”
Já o terceiro trabalhador, com orgulho, respondeu:
- “ Eu? Estou construindo uma CATEDRAL ! “
..............................
MORAL DA ESTÓRIA = Que visão você tem do trabalho que está realizando para Deus? Um evangelista poderia responder: coloco papéis nas caixas de correios das casas ou encho as caixas postais das residências com panfletos ou estou edificando o Reino de Deus! Como você está vendo o seu serviço na casa do Senhor? Não desmereça o seu trabalho como o primeiro trabalhador, não perca o seu foco como o segundo trabalhador, mas reconheça o seu valor como o terceiro trabalhador. Você é peça fundamental no Reino de Deus. Em 2011, trabalhe com alegria e consciente da sua importância na obra do Mestre!

Fonte: Internet

Compartilhando Tesouros

Compartilho esse trecho do livro - Orar é conquistar o impossível: " A autoridade não se encontra em nosso conhecimento, em nossa ousadia, em nosso procedimento ou na tonalidade de nossa voz. Encontra-se nele - em Cristo Jesus, o Senhor".
Concordo com o autor. Na verdade, o inimigo de nossas almas não se incomoda com caras e bocas nem com performances corporais e sonoras. O que realmente o incomoda é o nome que está acima de todo nome - o nome de Jesus! Esta é a chave, o segredo.

28/12/2010

Para Refletir


Há muita gente ocupada na obra do Senhor, mas sem tempo para o Senhor da obra. Ocupação não é sinônimo de Comunhão. Muitos estão como Marta - atarefados, asoberbados, cansados. Poucos conseguem desfrutar da intimidade de Maria. Pensemos nisso!

Minha Crônica de Natal

NATAL

Noite de festa
Noite de comemorar um nascimento
Noite de festejar um aniversário
O aniversário de alguém único, incomparável, revolucionário e eterno
O aniversário de alguém puro, inexplicável, humanitário e superno
Um bebê adorável, um menino perseguido, um jovem professor, um adulto obstinado e um mestre admirável.
Seu nome se resume a cinco letras, Sua essência se exprime em vários títulos. Nos sessenta e seis livros da Bíblia Sagrada, seus quarenta autores inspirados pelo Espírito Santo definem o aniversariante do dia :

• Ele é o Alfa e o Ômega – o Princípio e o Fim
• O Senhor dos Senhores e Rei dos Reis
• Ele é Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz
• Ele é a Rosa de Sarom, o Lírio dos Vales, a Estrela da Manhã

Ele é o Filho de Deus e hoje é o seu aniversário, não por orientação bíblica, mas por opção dos homens. Pelos estudiosos da Geografia e História Bíblica, o Salvador da Humanidade nasceu provavelmente em abril, época em que os pastores tinham condições climáticas de deixar as ovelhas à solta no pasto. Dezembro fazia muito frio e não era possível tal prática. Como naquele período, os pastores estavam no campo quando foram avisados por Deus, acredita-se que o menino Jesus não nasceu em 25 de dezembro. De qualquer maneira, seguindo uma tradição de data, estamos comemorando mais um dia na vida eterna de JESUS.
Nesta noite especial, as famílias se reúnem para cear e trocar presentes, mas será que se lembram do aniversariante? Será que ele está presente em todas as ceias? E onde está o bolo, os salgados, os docinhos e a velinha para que o felizardo possa apagar? E onde estão os presentes do contemplado da festa?
Preparamos uma ceia geralmente importada da tradição americana para o deleite do nosso paladar, enfeitamos as fachadas das casas ou as árvores chamadas de Natal para o nosso deleite visual e trocamos presentes para o nosso deleite pessoal e consumista. Criamos até um ídolo nascido da mentira para alimentar o sonho de crianças ingênuas que aprendem a depositar a esperança na figura de um velhinho de barbas brancas ao invés de esperarem num Deus que tudo pode dar e fazer. Lembramos de tudo, de todos os detalhes, esquecemos do motivo da festa. Esquecemos o aniversariante.
Não preparamos para ele : o bolo, a velinha, os salgados, os docinhos, o refrigerante, os ingredientes de qualquer aniversário. Nem ao menos nos lembramos dos presentes que devemos ofertar a ele. Mas, graças a Deus que Jesus é um aniversariante diferente. Ele é prevenido, ele não espera que lhe façam surpresas, ele prepara tudo aos seus convidados:

• Ele é o próprio bolo repartido entre todos nós através da sua palavra. Um bolo precioso, poderoso, eficaz e eterno. Um bolo que enche os olhos, sacia a fome da alma e dá vida com abundância.
• Ele é o sal. O sal da Terra. Terra apodrecida pelo pecado e pelo mal. Terra que se mantém conservada e preservada pelo toque especial de um sal celestial.
• Ele é o doce. Ele é Verdade e a Verdade é a sua Palavra e a sua Palavra, diz o salmista é doce como o mel.
• Ele é a bebida que não acaba. A fonte que não se esgota, que não pára de jorrar, trazendo vida, alegria, graça, fé, esperança.
• E a vela? Para que ele precisa de vela? Se ele é a própria luz? Ele mesmo afirmou: “Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida ”
• E os presentes? E as ofertas a ele? Ele mesmo também preparou? Não. Essa parte é nossa, especificamente nossa. Tudo ele já preparou, mas e eu e você? O que vamos ofertar ao aniversariante?

Neste Natal, lembremos do verdadeiro sentido desta festa, deixando para trás as deturpações feitas pelos homens, o egocentrismo, a ilusão, o consumismo e a hipocrisia e ofertemos ao Salvador o que de melhor podemos ofertar. Embrulhe em papel bem bonito e luminoso: a sua gratidão, o seu sorriso, a sua vida, o seu louvor, a sua adoração, a sua confiança, a sua fé. Embale-se de corpo, alma e espírito e entregue-se de presente a Jesus. Ele se entregou por nós e para ele, o maior presente nesta noite feliz é: VOCÊ.

Dica de Leitura

Recebi um edificante presente de Natal: o livro Orar é Conquistar o Impossível do Pastor Californiano, Jack W. Hayford. Tenho aprendido que a oração é um ato de conquista, é um instrumento de guerra e um meio para o impossível. Recomendo o livro que embora pequeno contém verdades profundas e enriquecedoras. É da Editora Vida.

O Pastor do Salmo

Conta-se que um poeta foi convidado para, ao final de uma solenidade, recitar o Salmo 23. No alto da sua capacidade de impostar a voz, de controlar a respiração e de usar todos os recursos que podiam dar beleza à execução, ele termina a sua apresentação em grande estilo e arranca da platéia aplausos calorosos, enquanto é ovacionado demoradamente.
Ali, na primeira fila, assistia a tudo um velhinho, já de cabelos embranquecidos, que logo em seguida, solicita ao coordenador do evento para também recitar o Salmo 23. Ele tenta demover o ancião de tão inoportuno pedido. Argumenta, mas ele insiste, e talvez pelo respeito à idade, acaba por conceder.
Aquele senhor sobe na plataforma com o rosto marcado pelo tempo, cheio de rugas e de histórias acumuladas em quase um século de existência, e começa a recitar o mesmo Salmo 23. À medida em que ele recitava pausadamente o Salmo, um profundo silêncio se derramou sobre o auditório, e que foi se convertendo em comoção e soluços, de modo que ao terminar a última frase do Salmo, ninguém aplaudiu, mas todos, estavam ali com lágrimas nos olhos, depois que um profundo espírito de quebrantamento caiu sobre aquele lugar.
Aquele jovem poeta agora corre para a plataforma, lança-se aos pés daquele desconhecido ancião, e chorando, pergunta: “O que é que você tem que eu não tenho? Eu estudei nas melhores escolas e aprendi a recitar. Eu consigo arrancar aplausos das pessoas, mas você tocou a alma delas, o que você tem, que eu não tenho?”.
O velhinho olha para ele com um olhar terno e diz: “A diferença, meu filho, é que você conhece o “Salmo do Pastor”, mas eu, conheço o “Pastor do Salmo””. A unção está na intimidade. Foi na intimidade com o Pastor das nossas almas que Davi escreveu este Salmo. Todos nós somos chamados para conhecer o “Pastor do Salmo” e não somente o “Salmo do Pastor”.