Para Meditar

"Escreva as preocupações de hoje na areia. Grave as vitórias de ontem na pedra".

24/01/2012

Como almejo a sabedoria dela

Ester. Uma moça formosa, valorosa, virtuosa. Uma mulher sábia, pré-destinada, consagrada. Quando chegou a sua hora e a hora de Deus, ela soube usar as armas humanas e as armas divinas. Antes de entrar na presença do Rei, entrou na presença do Soberano. Usou as armas que recebeu dele: jejum, oração, consagração. Usou as armas que tinha em mãos: a formosura, o melhor perfume, o melhor vestido. Atraiu o Rei e soube o que pedir quando tudo foi colocado à sua disposição. Ela poderia pedir o que quisesse, mas não o fez. O que ela queria já tinha pedido ao Soberano. Ao Rei, ela ofereceu um jantar, a estratégia de Deus. Ainda não havia chegado o tempo de revelar o segredo, denunciar a trama e solicitar auxílio. Ester aguardou o sinal de Deus e foi ao encontro do Rei. Ester aguardou o dia do banquete. O momento do banquete. Ester aguardou a ocasião certa. Usou as palavras adequadas. Revela o perigo que enfrenta para o Rei e depois se revela para ele. Atitudes, gestos e palavras minuciosamente planejados e regidos pelo Soberano. Ela segue a receita e dá tudo certo. A jovem valorosa mostra o seu valor como serva do Deus Altíssimo. A mulher pré-destinada cumpre o seu papel. O povo escapa da morte como o passarinho do laço. Graças à sabedoria divina dada a Ester, os judeus jubilaram de alívio e prazer. A verdadeira sabedoria é essa que desce do céu e se manifesta na terra, nos corações de quem teme, treme e obedece o Soberano. Ah, como almejo a sabedoria que veio à rainha Ester.