Para Meditar

"Escreva as preocupações de hoje na areia. Grave as vitórias de ontem na pedra".

16/02/2011

A oração pode ...

A oração de um justo pode muito em seus efeitos.  O apóstolo Tiago fez esta afirmação inspirado pelo Espírito de Deus. Ele deixou registrada uma verdade espiritual provada e comprovada: a oração pode e pode muito. A Bíblia nos garante que Deus é poderoso para fazer muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera. A oração tem poder! Ela pode. Através dela, o Senhor opera em nós e por intermédio de nós.
Como resposta à oração, grandes milagres aconteceram. A oração de Elias, homem sujeito às mesmas paixões que eu e você fez chover e parar de chover. A oração de Josué retrocedeu os ponteiros de um relógio e fez parar o sol. Por causa da oração de Ezequias, um anjo foi enviado e matou cento e oitenta e cinco mil soldados de uma só vez. Por causa da oração de Daniel, leões ficaram de boca fechada, fornalha virou geladeira e segredos foram revelados.  
A oração de Salomão fez descer fogo do céu e a glória do Senhor desceu de forma surpreendente e sobrenatural. A oração do Rei Ezequias mudou uma sentença de morte e acrescentou-lhe anos de vida. A oração de Ana e a oração de Zacarias transformaram esterilidade em felicidade. Transformou tristeza em alegria. Transformou o impossível em possível.
A oração de Jonas no ventre do grande peixe o livrou da morte. A oração da igreja pela vida de Pedro fez anjo aparecer, portas se abrirem e cadeias caírem. Por causa da oração de Jesus, nós estamos aqui. Ele orou e ora, intercedendo por cada um de nós, pedindo ao Pai que nos livre do mal. Ele orou, pedindo que seus algozes fossem perdoados e seguiu em frente na missão de nos salvar. Ele orou, entregando o seu espírito ao Pai por amor a mim e a você.
A oração pode! Alcance, conquiste, lute, experimente, cresça, vença através da oração. Ah! Se todos alcançassem esse mistério tão grande e tão profundo chamado oração.

14/02/2011

O menino que queria ser tv

Joselito era um menino comum, como todos os outros. Era quietinho: o último filho de uma família numerosa. Ficava no seu canto boa parte do tempo, brincava, estudava. Certa vez, a professora da escola dominical de Joselito, falou sobre o poder da oração, pediu a seus alunos que escrevessem uma oração. A oração de Joselito causou espanto e a professora permitiu que a publicássemos para a congregação: “Querido Papai do Céu, Muito obrigado por tudo que o Senhor tem nos dado. Nossa professora disse que o Senhor tem todo o poder para fazer qualquer coisa. Eu acredito nela e no Senhor também. Eu gostaria de ser uma TELEVISÃO. Gostaria que o Senhor me transformasse numa TV. Sei que para o Senhor, isto deve ser muito fácil, pois a tia disse que o Senhor fez a gente com pó. Papai do Céu, não fique bravo por eu querer ser TV. Eu gosto de ser um menino, mas eu gostaria mais ainda de ser uma TELEVISÃO. Sabe Deus, se eu fosse uma TV, todos os dias, ao voltar prá casa, meu pai iria chegar perto de mim e ficar bastante tempo comigo. Se eu fosse uma TV, mamãe ficaria comigo um bom tempo durante a tarde e meus irmãos iriam até brigar para ver quem iria ficar comigo! Se eu fosse uma TV, nas noites e feriados, todo mundo ficaria reunido ao meu redor, prestando atenção em mim, até mesmo quando eu não tivesse coisas importantes a dizer. Se eu fosse uma TV e acontecesse algo comigo, todos cuidariam de mim muito rápido, chamariam homens inteligentes prá cuidar de mim e nunca deixariam que alguém me maltratasse ou batesse em mim. Se eu fosse uma TV, teria um quarto bem bonito com sofá e tudo mais só para mim e nunca teria que ficar em silêncio quando os outros conversam, jantam ou fazem outras coisas. Se eu fosse uma TV, todos ficariam olhando para mim, rindo e não permitiriam que as outras coisas atrapalhassem nosso tempo juntos. Se eu fosse uma TV, seria sempre o último a ter que ir dormir, e só depois de ficar muito tempo com toda a família. Papai do Céu, se eu fosse uma TELEVISÃO, eu seria mais feliz!” Trate os seus “Joselitos” como trata sua TV. Ele vai ser feliz! Muitos filhos precisam de mais atenção de seus pais... Muitas esposas precisam de mais cuidado de seus esposos e vice-versa. Muitas pessoas recebem um mínimo de atenção, enquanto eletrodomésticos dominam nossas vidas.
....................

O nó do afeto

Em uma reunião de Pais, numa Escola da Periferia, a Diretora ressaltava o apoio que os pais devem dar aos filhos. Pedia-Ihes, também, que se fizessem presentes o máximo de tempo possível. Ela entendia que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhasse fora, deveriam achar um tempinho para se dedicar a entender as crianças. Mas a diretora ficou muito surpresa quando um pai se levantou e explicou, com seu jeito humilde, que ele não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo durante a semana. Quando ele saía para trabalhar, era muito cedo e o filho ainda estava dormindo. Quando ele voltava do serviço era muito tarde e o garoto não estava mais acordado. Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para prover o sustento da família. Mas ele contou, também, que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho a que tentava se redimir indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa. E, para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia, religiosamente, todas as noites quando ia beijá-lo. Quando o filho acordava e via o nó, sabia, através dele, que o pai tinha estado ali e o havia beijado. O nó era o meio de comunicação entre eles. A diretora ficou emocionada com aquela história singela e emocionante. E ficou surpresa quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola. O fato nos faz refletir sobre as muitas maneiras de um pai ou uma mãe se fazerem presentes, de se comunicarem com o filho. Aquele pai encontrou a sua, simples, mas eficiente. E o mais Importante é que o filho percebia, através do nó afetivo, o que o pai estava lhe dizendo. Por vezes, nos importamos tanto com a forma de dizer as coisas e esquecemos o principal, que é a comunicação através do sentimento. Simples gestos como um beijo a um nó na ponta do lençol, valiam, para aquele filho, muito mais que presentes ou desculpas vazias. É válido que nos preocupemos com nossos filhos, mas é importante que eles saibam, que eles sintam isso. Para que haja a comunicação, é preciso que os filhos "ouçam" a linguagem do nosso coração, pois em matéria de afeto, os sentimentos sempre falam mais alto que as palavras. É por essa razão que um beijo, revestido do mais puro afeto, cura a dor de cabeça, o arranhão no joelho, o ciúme do bebê que roubou o colo, o medo do escuro. A criança pode não entender o significado de muitas palavras, mas sabe registrar um gesto de amor. Mesmo que esse gesto seja apenas um nó. Um nó cheio de afeto e carinho.
E você? Já deu algum nó no lençol de seu filho, hoje?

Ninguém pode te amar como Jesus te ama

Já ouvi essa mensagem por várias vezes na Rádio Nordeste Evangélica e toda vez que ouço sinto-me tocada pelo texto, melodia e interpretação dessa verdade tão bela. Compartilho com todos vocês: visitantes, seguidores e divulgadores do blog.